Sad... sometimes happy.

What you can find here:
My autistic opinions about the world;
Musics that I like;
Images that perhaps I think are interesting.
Also you're gonna find sadness, happiness and probably all this will be in portuguese. So sorry, but my english really sucks.
Recent Tweets @durvalpimentel
Posts I Like
Who I Follow

Era madrugada. Os barulhos do ar condicionado e da janela de metal que tremia tiravam sua concentração das tentativas frustradas de voltar a dormir. Havia algum tempo que ele não sabia o que era ter uma noite inteira de sono. Havia algum tempo que ele era desperto por um fantasma irritante. Fantasma este que sussurrava em seu ouvido e ao despertá-lo desvanecia.
Resolveu que não dormiria mais,…

View On WordPress

113,091 plays
Sara Bareilles

durvalpimentel:

Sara Bee is back!!! Sa Linda!

davidnation:

“You can be amazing. You can turn a phrase into a weapon or a drug. You can be the outcast, be the backlash, of somebody’s lack of love. Or you can start speaking up. Nothing’s gonna hurt you the way that words do when they settle ‘neath your skin, kept on the inside, no sunlight, sometimes a shadow wins. I wonder what would happen if you say what you wanna say and let the words fall out. Honestly, I wanna see you be Brave. Say what you wanna say and let the words fall out. Honestly, I wanna see you be Brave. Just wanna see you, I just wanna see you, I just wanna see you, I wanna see you be Brave. Just wanna see you, I just wanna see you, I just wanna see you, I wanna see you be Brave. Everybody’s been there, everybody’s been stared down by the enemy. Falling for the fear and doubts are disappearing; bow down to the mighty. Don’t run, stop holding your tongue. Maybe there’s a way out of the cage where you live. Maybe one of these days you can let the light in. Show me how big your Brave is. Say what you wanna say and let the words fall out. Honestly, I wanna see you be Brave. Say what you wanna say and let the words fall out. Honestly, I wanna see you be Brave. Innocence, your history of silence won’t do you any good, did you think it would? Let your words be anything but empty, why don’t you tell them the truth? Say what you wanna say and let the words fall out. Honestly, I wanna see you be Brave. Say what you wanna say and let the words fall out. Honestly, I wanna see you be Brave. Just wanna see you, I just wanna see you, I just wanna see you, I wanna see you be Brave. Just wanna see you, I just wanna see you, I just wanna see you. See you be Brave. Just wanna see you, I just wanna see you, I just wanna see you, I just wanna see you, I just wanna see you, I just wanna see you.

Sempre achara a vida algo muito complexo, por vezes gostava dela, por muitas outras não. Nunca quis ser aquele chato que sempre reclama, que nunca estaá satisfeito… acabou se tornando exatamente ele.  Tornou-se adepto dos antidepressivos, e a vida não…

Ver Post

Sentiu uma pontada no peito. Caiu prostrado, como se tivessem lhe atravessado uma faca. Deitou-se no chão esperando a morte aparecer sob seu manto negro e com sua foice. Sua cadeira cativa no inferno, desde que nascera, estaria a sua espera. Desmaiou de…

Ver Post

shared via WordPress.com

Nunca se dava por satisfeita. Tinha uma tendência funesta e, para muitos, assustadora. Estava sempre com olheiras das noites mal dormidas e das insuportáveis enxaquecas. Não se achava merecedora de nada, muito menos dos amigos que possuía. Tinha esta tendência insuportável de sumir e deixar os seus preocupados. E, como se nada tivesse acontecido, reaparecia com suas olheiras e seu senso de humor sarcástico.

Um dia, porém, apaixonara-se por um fulano que conhecera ninguém sabe onde. Mudara seu guarda-roupa, estava sempre com um sorriso bobo estampado no rosto e suas piadas se tornaram até que agradáveis. Não havia uma pessoa sequer que não notasse a diferença, contudo não comentavam com ela com medo da antiga “Mortícia” reaparecer.

– E então, como vai o namoro? – perguntou Patrícia, certa vez.

– Não muito bem – foi tudo o que se limitou a dizer.

Quando questionada pela amiga dos porquês mandou esquecer o assunto.

O comportamento dela voltou ao habitual, sumiu. Quando voltou a aparecer não disse nada, apenas ouviu os assuntos com uma sobrancelha levantada. As olheiras estavam piores que nunca, e até uma bolsa começava a se formar debaixo dos olhos. Era notável que estivera chorando. Um amigo tentou abordá-la. “Vá cuidar da sua vida”, respondeu e foi-se para mais um longo período de ausência.

Durava mais do que o normal seu sumiço, alguns começavam a ficar incomodados. O amigo ofendido por se preocupar disse: “Uma hora volta, temos é que parar de ficar cheirando ela”. Dois dias depois a notícia chegou. Tomara uma overdose de Rivotril e não aguentara, o velório seria às cinco da tarde.

Durante a vigília o mais abalado era o amigo, que corroído pelo remorso do descaso culpava-se pela morte de Regina.

na-paula:

Après moi, le deluge…

In pop culture, girls who crush hopelessly on guys they can’t have are painted as just that – hopeless. Over and over again, we’re taught that girls who openly express sexual or romantic interest in guys who don’t want them are pitiable, stalkerish, desperate, crazy bitches. More often than not, they’re also portrayed as ugly – whether physically, emotionally or both – in order to further establish their undesirability as an objective fact. Both narratively and, as a consequence, in real life, men are given free reign to snub, abuse, mislead and talk down to such women: we’re raised to believe that female desire is unseemly, so that any consequent shaming is therefore deserved. There is no female-equivalent Friend Zone terminology because, in the language of our culture, a man’s romantic choices are considered sacrosanct and inviolable. If a girl has been told no, then she has only herself to blame for anything that happens next – but if a woman says no, then she must not really mean it. Or, if she does, she shouldn’t: the rejected man is a universally sympathetic figure, and everyone from moviegoers to platonic onlookers will scream at her to justgive him a chance, as though her rejection must always be unfounded rather than based on the fact that he had a chance, and blew it. And even then, give him another one! The pathos of Single Nice Guys can only be eased by pity-sex with unwilling women that blossoms into romance!
Lamenting the Friendzone, or: The Nice Guy Approach to Perpetuating Sexist Bullshit (via nyquilontherocks)

(via epanistamai)


‘Fringe’ cast @ SDCC 2012


I’ll miss them!!

‘Fringe’ cast @ SDCC 2012

I’ll miss them!!


@durvalpimentel @niarduini Beijo da alma de vocês, ontem teve bão! — ‘na Paula (@na_paula)

Eu amo meus amigos

The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy #DouglasAdams (Publicado com Instagram, no Bairro Niterói)

Rolei de rir com essa montagem. 

O tédio e a falta de vontade vêm como um sintoma de toda ansiedade que se passa dentro do ser. Algumas engrenagens se quebraram no processo de transporte e agora as coisas não correm bem, não funcionam direito. O tempo começa a pesar e tudo se torna velho, mas nem tudo que é velho é descartável. Ou é? O jovem idoso não precisa de bengala, mas precisa de vontade. A vida não acabou. Então por que não faz sentido? A saudade do passado causa nostalgia, ou é a nostalgia saudades do passado? O que se começa afirmando se termina perguntando. Será isso mais um sintoma da confusão? As perguntas terão qualquer dia uma resposta? Onde está a lógica de tudo? Não tem lógica.